quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Perder-Achar-Celebrar



Semana passada estava conversando com um amigo pela internet enquanto terminava um trabalho pendente. Já era quase meia noite. E um texto que escolhi para meditar, enquanto fazia um balanço do meu dia, foi o de Lucas 15. Resolvi, então, compartilhar o texto para que ele também pudesse refletir. O interessante foi que ele me respondeu dizendo que não concordava com o desfecho da parábola do filho pródigo e nem sabia por que essas histórias estavam lá registradas. Fiquei de conversar com ele depois, uma vez que ele me deixou curioso com sua discordância.
E foi nessa noite, que inclusive custei a dormir, que a parábola da dracma perdida ficou martelando na minha mente, que transcrevo do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas, capítulo 15. 8-10:
“Ou qual a mulher que, tendo dez dracmas, se perder uma dracma, não acende a candeia, e varre a casa, e busca com diligência até a achar? E achando-a, convoca as amigas e vizinhas, dizendo: Alegrai-vos comigo, porque já achei a dracma perdida. Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.”
E para quem não sabe, uma dracma era o equivalente ao pagamento de um dia de trabalho naquela época. Portanto, algo muito valioso.

Aí fiquei a me perguntar: quantas coisas valiosas não tenho perdido?

Mas essa mulher nos ensina a não ficarmos parados e nos chama para a ação: acender a candeia, varrer a casa, procurar até achar e celebrar.

É gratificante quando encontramos, resgatamos, achamos... algo que estava perdido nas nossas vidas! Tenho aprendido a resignificar, inclusive, o valor do trabalho, do tempo, dos relacionamentos!

Quando analisamos a situação pelo paradigma do perde-ganha, o medo, a ansiedade, a desconfiança, a insegurança, a dúvida nos rodeiam e assim titubeamos em deixar as noventa e nove ovelhas, ou as outras nove dracmas, ou um dos dois filhos ou ainda outras coisas, seja qual for o universo, para ir em busca do que, também, é valioso, precioso, singular.

Como você tem lidado com suas experiências de perder-achar-celebrar? Qual é a sua dracma perdida?

Vamos lá! Acenda a luz na sua vida! Faste a mobília, retire os tapetes e cortinas! E não se esqueça de varrer e procurar até achar “sua dracma”!

Da última vez que celebrei teve até churrasquinho e a companhia do Iago, Anderson, Camila, Diego Bombom, Lucas, Filipe e Paulinho Brasil! Heheheheheh!!!!

Um grande abraço!

Wendel Cavalcante.

TwitThis

Um comentário:

  1. Maraviha Wendel.Creio que a alegria que sentimos, quando algo ou alguem que perdemos é restituída, é tamanha, que com certeza, desejamos festejar com todos, e sendo a Gória da segunda casa bem maior que a da primeira.Amei. Parabens, e Deus continue te abençoando.

    ResponderExcluir